HERÓIS

HERÓIS
Espaço das turmas de 4.º ano da Escola Básica de Santiago Maior - Beja.

sábado, 24 de outubro de 2015

A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

Estamos a ler o livro "O senhor do seu nariz", de Álvaro Magalhães.
Uma das histórias bem engraçadas que já lemos foi "O romance de Pedro e Inês". A partir daí, realizamos vários trabalhos, entre eles, a pesquisa da lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro.
Aqui fica o reconto da lenda que os vários grupos prepararam: 
A lenda de D. Pedro e D. Inês

D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal, alguns chamavam-lhe Justiceiro ou Cruel.
Os portugueses não queriam que D. Pedro e D. Inês casassem, mas eles pensaram casar às escondidas. Os dois conselheiros de D. Afonso IV disseram-lhe que mandasse matar D. Inês. Mandou matar D. Inês e arrancar-lhe o coração porque ela era filha de um nobre espanhol poderoso.                      
Quando D. Pedro I foi rei mandou matar os conselheiros, construir o Mosteiro de Alcobaça e mandou o povo beijar a mão de D. Inês.   
 Afonso e Ana Catarina    

A lenda de D. Pedro e D. Inês


Em 1320 nasceu D. Pedro I, filho de D. Afonso IV, que era rei de Portugal.
O pai de D. Pedro I arranjou uma princesa chamada D. Constança para ele casar mas ele apaixonou-se por D. Inês que era aia de D. Constança. D. Afonso IV achava que ela era má influência para Portugal porque era filha de um nobre espanhol.
D. Afonso IV mandou que D. Inês fosse para fora de Portugal, mas D. Pedro foi morar com ela para uma casa perto da fronteira.
Os conselheiros aconselharam o rei a matar D. Inês de Castro.
Quando D. Pedro se tornou rei, mandou matar os conselheiros, tornou D. Inês rainha, mesmo depois de morta, e obrigou todos a beijarem a mão dela. Ele mandou construir o Mosteiro de Alcobaça com os túmulos, onde eles estão ainda hoje.

Francisco e Catarina
                                                                      

A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro
                                                                              
        Há muito tempo, quase há 700 anos, D. Afonso teve um filho em 1320, que se chamou D. Pedro.
       Quando era príncipe, os pais obrigaram-no a casar com D. Constança, mas ele não queria casar com ela porque se apaixonou por D. Inês. O pai não queria porque ela era filha de um nobre espanhol.
        Eles foram para uma casa perto de Espanha. Os conselheiros aconselharam o rei a mandar matar D. Inês.
        Quando D. Pedro foi rei mandou matar os conselheiros, tornou D. Inês rainha e mandou construir o Mosteiro de Alcobaça. Os túmulos onde eles estão ficam em frente um do outro, pois se acordarem ficarão logo a olhar um para o outro.
Dinis e Maria Inês


A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal. D. Pedro, quando era príncipe, apaixonou-se por D. Inês, filha de um nobre espanhol. Os pais de D. Pedro tinham medo que o pai de D. Inês quisesse atacar Portugal. D. Afonso IV mandou matar D. Inês.
Quando D. Pedro se tornou rei, descobriu que D. Inês tinha morrido na Quinta das Lágrimas e mandou matar os dois conselheiros. Tornou D. Inês rainha e mandou construir o Mosteiro de Alcobaça.
Puseram D. Inês e D. Pedro nos túmulos frente a frente para que, quando acordarem, olhem imediatamente um para o outro.
Margarida Elias, Gabriel e Artur
                                                                                                                                             
                    A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal. Uns chamaram-no de Justiceiro e outros de Cruel. As pessoas puseram-lhe estes cognomes ou alcunhas porque ele teve um grande amor por D. Inês. Este amor foi triste porque D. Pedro teve de casar com D. Constança, uma princesa espanhola.
D. Inês era uma aia da princesa.     Eles estavam muito apaixonados e continuaram a ver-se. O pai de D. Pedro, D. Afonso IV, mandou matar D. Inês porque não queria que eles estivessem juntos.
Quando D. Pedro foi rei corou D. Inês como se ela estivesse viva, obrigou todos a dar-lhe um beijo na mão e mandou fazer o Mosteiro de Alcobaça.
                                                                                               Gonçalo e Maria                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal, alguns chamavam-lhe Justiceiro e outros Cruel.
Os Portugueses não queriam que D. Pedro e D. Inês casassem. Pensavam que eles tinham casado às escondidas e mandaram matar D. Inês de Castro.

Quando D. Pedro se tornou rei, tornou D. Inês rainha, obrigou todo o povo a beijar a mão dela, mandou arrancar os corações dos conselheiros e construir o Mosteiro de Alcobaça com dois túmulos, um para ele e outro para ela.         
            Henrique e Ricardo                                                                                                        

A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

D. Pedro I, filho de D. Afonso IV, casou-se com a D. Constança, mas apaixonou-se por D. Inês de Castro, filha de um nobre Espanhol.
O pai de D. Pedro tinha medo que os espanhóis se voltassem contra Portugal.      
D. Afonso mandou matar D. Inês.
Quando D. Pedro se tornou rei, mandou matar os conselheiros e construir o Mosteiro de Alcobaça.  
Mafalda e José Miguel    










                              

             A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal
D. Pedro teve 2 cognomes ou alcunhas: Justiceiro e Cruel porque teve um grande amor por D. Inês, mas teve de casar com D. Constança.
D. Afonso mandou matar D. Inês.
Quando D. Pedro se tornou rei, mandou beijar a mão D. Inês, tornando-a rainha e mandou tirar o coração aos conselheiros. D. Pedro mandou construir o Mosteiro de Alcobaça e dois túmulos em frente um do outro, para que um dia, quando acordarem, possam olhar logo um para o outro.
Margarida e Guilherme


A lenda de D. Pedro e D. Inês de Castro

Há muito tempo D. Afonso IV teve um filho, D. Pedro I. Ele tinha casado com uma princesa, D. Constança, não queria mas os pais obrigaram-no.
  D. Constança tinha uma dama de companhia, D. Inês. D. Pedro apaixonou-se logo por ela, mas o seu pai D. Afonso IV mandou matá-la.
Depois quando D. Pedro se tornou rei, mandou matar os conselheiros, mandou fazer o Mosteiro de Alcobaça e tornou D. Inês rainha.
Sofia e Gustavo

                                       

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Adivinhas

Hoje, o José Miguel trouxe adivinhas e, entre todos, conseguimos descobrir as soluções.


Qual é a coisa qual é ela?

A todos imito,
eu não invento nada;
e as coisas que faço
é tudo macacada.

Um brilho amarelo,
zunido astuto,
bofetada no ar
e um grito agudo.

Era uma animal feroz
até ser pintada de rosa;
agora diverte-nos muito
e é astuta e teimosa.

Soluções: macaco/vespa/pantera

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Dia Mundial da Alimentação

No dia 16 de outubro comemorou-se o Dia Mundial da Alimentação.
Fizemos pães com chouriço que estavam deliciosos!










domingo, 18 de outubro de 2015

Dia Mundial da Alimentação

No dia 16 de outubro foi o Dia Mundial da Alimentação e o Dia Mundial do Pão.
Resolvemos confecionar pão com chouriço especial, ou seja, em vez do chouriço, usamos maçã. 


Dividimo-nos em pequenos grupos e a primeira tarefa foi lavar muito bem as mãos.
Lavamos as maçãs e, com ajuda, cortamo-las.  



Pesamos os ingredientes e amassamos muito bem.


 


Dividimos a massa em pequenas bolas que recheamos com os pedaços de maçã.





 











Com a ajuda da professora, colocamos os pãezinhos no forno. 
Ao fim de pouco tempo, o cheirinho na sala já era bem apetitoso!


      
Depois foi só lanchar, estavam deliciosos!



Outubro é o mês internacional das Bibliotecas Escolares.



Para comemorarmos, fomos à Biblioteca assistir a uma sessão de leitura do livro  “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas”,  de Luísa Ducla Soares. É uma história muito engraçada e a versão que nós pudemos ver e ouvir ainda foi melhor, pois as professoras Maria da Luz e Telma aparecem dentro do livro a contar a história.
Se quiserem ver, cliquem no link:
https://www.youtube.com/watch?v=I1Fs4hWXdXQ

Uma vez que andamos a estudar o sistema digestivo, a professora Maria da Luz ainda nos leu a história "A fuga da ervilha", de Pedro Seromenho.

Adoramos!